INVISIBILIDADE CARISMÁTICA E O ELEMENTO CÊNICO - DO CORPO E SEU ENTORNO

William Paiva

revistatkv-v1n9-8

10.4322

/

Dividido em dois atos, utilizando-se de uma escrita poética, o texto propõe discutir a relação espaço-imagem. Se, no primeiro ato, um elemento sugere uma certa imposição de sua visualidade pelo que está posto em cena, é pela falta deste objeto que, no segundo ato, o recorte de tempo e espaço se abre à relação sujeito-subjetividade. Assim, o que está visível e o invisível inferem sobre a cena, em formas justapostas de coesão artística, e conferem ao adereço cênico, aquilo que será, antes, uma política de sua visualidade e traços de organizações da sociedade.